Quem Somos Nós:

O Coletivo de Educação Popular Jacuba se propõe a construir coletivamente e desenvolver um espaço de organização e participação comunitária com foco na transformação social ampla e emancipadora. Auxiliado por uma pedagogia com referencia no trabalhador, pretendemos propiciar um espaço educativo para o debate, a organização, a reflexão crítica e a luta política, que combata toda forma de exploração, opressão, dominação e alienação.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

HORTOCINE DIA 18 DE AGOSTO, Apresenta: Eles Não Usam Black-Tie


realização: Centro de Educação Popular Jacuba, O Corujão "Escola Livre de Filosofia"
Parceria CAC: Secretaria de Cultura e CEP Jacuba

terça-feira, 10 de agosto de 2010

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA OFICINA DE FANZINE - NO CENTRO DE ARTE E CULTURA (CAC)

Construção de revistas independentes artesanais


Período das inscrições: De 01 a 18 de agosto

Para o e-mail: jacubanos@gmail.com ou 3845-2525 (Falar com Agnus)

Vagas: 15 vagas

Faixa etária: a partir de 14 anos

Aulas de 20 de agosto a 22 de outubro (Sextas das 16:30 às 18:30) no Centro de Arte e Cultura - CAC, Rua Manoel Antônio da Silva. 365, Jd. N. S. de Fátima.

Realização: Centro de Educação Popular Jacuba

Curso Grátis!

O que é Fanzine?

Fanzine é uma abreviação de fanatic magazine, mais propriamente da aglutinação da última sílaba da palavra magazine(revista) com a sílaba inicial de fanatic.

Fanzine é portanto, uma revista editada por um fan (fã, em português). Trata-se de uma publicação despretensiosa, eventualmente sofisticada no aspecto gráfico, dependendo do poder econômico do respectivo editor (faneditor). Engloba todo o tipo de temas, assumindo usualmente, mas não necessariamente, uma determinada postura política, com especial incidência em histórias em quadrinhos (banda desenhada), ficção científica, poesia, música, feminismo, vegetarianismo, veganismo, cinema, jogos de computador e vídeo-games, em padrões experimentais.

Também se dedica à publicação de estudos sobre esses e outros temas, pelo que o público interessado nestes fanzines é bastante diversificado no que se refere a idades, sendo errônea a ideia de que se destina apenas aos jovens, ainda que estes sejam concretamente os que mais fazem uso desse meio de comunicação.

Prova desta afirmação é a de que os primeiros fanzines europeus, especialmente franceses e portugueses, foram editados por adultos, dedicando-se ao estudo de históra em quadrinhos (ou banda desenhada). A sua origem vai encontrar-se nos Estados Unidos em 1929. Seu uso foi marcante na Europa, especialmente na França, durante os movimentos de contra-cultura, de 1968. Graças a esses movimentos, os fanzines são uma ferramenta amplamente difundida de comunicação impressa de baixos custos. No Brasil, desde a década de 1980 até hoje, os "zines" se converteram no meio de veiculação de idéias mais usado por punks e anarquistas.

Fonte: Wikipedia.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

ENCONTRO EM DEFESA DO CAC - DIA 01 DE AGOSTO DE 2010

Domingo, dia 01 de agosto foi realizado o Encontro em defesa do CAC, organizado pela comunidade e o Centro de Educação Popular Jacuba como a primeira de uma série de iniciativas em defesa do CAC como um espaço de organização coletiva da comunidade e de difusão cultural.

Tivemos atividades como Lian Gong, Roda de Capoeira, Almoço Comunitário, Roda de Conversa para discutir a situação do espaço, Ciranda e o Encontro de BMX realizada na rampa feita pelos praticantes.

Organizaremos mais atividades para a comunidade ocupar o CAC que é um espaço da e para a comunidade.

Centro de Educação Popular Jacuba
A Arte da Memória

Recolha cada poeira esquecida

Recolha cada memória guardada

Recolha cada rua anônima

Que não guarda o nome de suas pegadas

Recolha cada gesto indeciso

Cada intenção abandonada

Lembre-se que o caminho é feito

Também por trilhas não trilhadas

Não esqueça como foi vivido aquele abraço

Lembre-se sempre

Que o produto esconde o processo

O suor e o cansaço

Aquele que constrói raramente aparece

Fica ali no canto, invisível,

Sem nome, sem rosto

Sem corpo, sem gosto
 
Nunca esqueça dos esquecidos

Existem em sua inexistência

Como traço de luz no vinho tinto

Como alma depois do filme findo

Recolha tudo: o visível e o invisível

Então terás mais que nomes e fotos

Mais que biografias frias

Mais que simples história

Serão beijos molhados

Abraços ardentes

Pássaros em pleno vôo

Peixes lisos e frutas frescas

Então seremos eles e seus sonhos

E suas dores e seus partos

E suas lutas e seus amores

Sua fome e seu farto

Seguirão em nós

Porque os seguimos

Não morrerão

Porque não desistimos.

Mauro Iasi

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Cineclube Hortocine - DIA 04 DE AGOSTO - Quanto Vale ou é por Quilo?



Cineclube Hortocine - Apresenta: Quanto Vale ou é por Quilo?

dia 04 de agosto, às 19h00, no CAC - Centro de Arte e Cultura

Rua: Maneol Antônio da Silva, 365, Jd. Nossa S. de Fátima, Hortolândia, fone: 3845-2525

Um filme de Sérgio Bianchi

Sinopse

Adaptação livre do diretor Sérgio Bianchi para o conto "Pai contra Mãe", de Machado de Assis, Quanto Vale ou É Por Quilo? desenha um painel de duas épocas aparentemente distintas, mas, no fundo, semelhantes na manutenção de uma perversa dinâmica sócio-econômica, embalada pela corrupção impune, pela violência e pelas enormes diferenças sociais. No século XVIII, época da escravidão explícita, os capitães do mato caçavam negros para vendê-los aos senhores de terra com um único objetivo: o lucro. Nos dias atuais, o chamado Terceiro Setor explora a miséria, preenchendo a ausência do Estado em atividades assistenciais, que na verdade também são fontes de muito lucro.

Informações Técnicas

Título Original: Quanto Vale Ou É Por Quilo?

País de Origem: Brasil

Gênero: Drama

Classificação etária: 14 anos

Tempo de Duração: 108 minutos

Ano de Lançamento: 2005

Site Oficial: http://www.quantovaleoueporquilo.co m.br

Estúdio/Distrib.: Versátil

Direção: Sergio Bianchi