Quem Somos Nós:

O Coletivo de Educação Popular Jacuba se propõe a construir coletivamente e desenvolver um espaço de organização e participação comunitária com foco na transformação social ampla e emancipadora. Auxiliado por uma pedagogia com referencia no trabalhador, pretendemos propiciar um espaço educativo para o debate, a organização, a reflexão crítica e a luta política, que combata toda forma de exploração, opressão, dominação e alienação.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA KUNG FU

Parceria: Associação Long Chi de Kung Fu e Coletivo de Educação Popular Jacuba



quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

COMO FUNCIONA A SOCIEDADE I - INSCREVA-SE!

SOMOS TODOS PINHEIRINHO

Em 22 de janeiro 2012 no município de São José dos Campos mais de 6.000 trabalhadores perderam as suas casas, móveis, documentos, objetos, animais de estimação e suas vidas. Há casos de pessoas desaparecidas, feridas e mortas, entre elas uma criança de menos de dois anos.

A mídia não divulgou quase nada, e quando o fez, disse que se tratava de traficantes e usuários de crack. O governo estadual foi quem deu a ordem, contrariando a decisão federal. Mesmo assim, ambos os governos foram omissos e poderiam ter evitado o massacre e o desalojamento. O proprietário do terreno Naji Nahas, foragido em muitos países, fraudou a bolsa de valores do Rio de Janeiro e há várias ações contra ele na justiça.

Os trabalhadores que moravam neste bairro há oito anos foram despejados por terem ocupado um imóvel de uma empresa “falida”. Como é de costume, eles são chamados pela mídia (diga-se burguesia e pelo senso comum) de “invasores”, mídia esta que omite que está na constituição o direito a moradia, a vida e a um julgamento justo. Os governos, a mídia e a polícia violam a constituição (e se dizem patriotas!), julgam e executam inclusive a pena de morte.

Há também um fator histórico em nosso país no que diz respeito ao uso do solo, nosso território foi fruto da invasão, pilhagem e matança sobre os povos que aqui habitavam! Passado um longo período, com a instituição da propriedade privada no Brasil no século XIX, passou a se vender o fruto do roubo e da “verdadeira” invasão. Ou seja, todos os imóveis do Brasil são frutos de invasão! Porém os ditos “invasores” sem teto, são trabalhadores, brasileiros e que não expulsaram, mataram, pilharam ou retiram as pessoas de suas casas, não, eles não fazem e nem fizeram isto, eles ocupam imóveis vazios ou abandonados, são vítimas que se cansaram de esperar, pois sabem que a única coisa a se esperar em nosso país é a morte. Assim neste brevíssimo relato fica claro a inversão que a ideologia dominante faz com as idéias, fatos e acontecimentos. Não podemos reproduzir isto!

Morar é um direito e não um crime!

O massacre em São José dos Campos explicitou a guerra escondida de todos os dias e a verdadeira face do estado e principalmente a quem a polícia, a justiça e a mídia estão a serviço. Não podemos ficar omissos a isto tudo, temos que divulgar a verdade, manifestar, lutar e destruir o dominador. E necessário reconhecer, se preparar e lutar nesta guerra. Lutem!



Somos todos Pinheirinho! Comunicado Coletivo de Educação Popular Jacuba – 23/01/12.